• Viver

Relações no trabalho


Existem muitas dúvidas quando falamos de relacionamento entre pessoas no trabalho. Isso é previsível, afinal estamos falando de oito ou mais horas de convívio diário, mas sempre percebo a confusão que essa proximidade gera. Aproximar-me ou não das pessoas, como devo me comportar, devo me abrir, fazer amigos ou ser mais reservado, fechado, fazer o tipo misterioso?

Bem, como na maioria das situações delicadas em nossas vidas, a regra é simples de ser dita, mas nem tão simples de ser praticada.


Primeiramente, o local de trabalho não tem por objetivo primeiro desenvolver suas relações sociais. Não somos obrigados a fazer amigos no trabalho, mas é imprescindível que nos relacionemos de forma produtiva, elegante e ética. Entretanto, podemos ter agradáveis surpresas ao descobrir uma ou mais pessoas com quem temos mais afinidade e vontade de nos aproximar. E, a partir daí, poderá nascer uma grande amizade ou até um relacionamento amoroso. Não há nada de errado em ter um amigo no trabalho, e tampouco em não ter. Mas é preciso saber preservar a boa educação e entender que nosso limite termina onde começa o do outro.


De qualquer forma, seja com amigos íntimos, seja com meros colegas que encontramos uma vez ao dia, e que muitas vezes conhecemos apenas por telefone, é preciso lembrar que disciplina nas relações constrói pontes sólidas e garante paz no futuro. Devemos estar atentos para usar sempre as três palavras mágicas – “por favor”, “obrigado” e “desculpe-me”.

Entender que as pessoas são diferentes, têm ritmos diferentes e gostos diferentes, saber respeitá-las e aprender a conviver com essas diferenças, é um exercício de tolerância e aperfeiçoamento da sua capacidade de se relacionar, que a cada dia conta mais para seu currículo e, consequentemente, para o seu sucesso. Não se trata apenas de respeitar as diferenças, mas de ser inteligente para aprender com elas.

No aprendizado das relações, exercitamos também a flexibilidade, outro requisito fundamental para nosso desenvolvimento profissional. Saber se posicionar e se adequar às necessidades e condições do grupo ou da empresa faz do profissional uma pessoa qualificada para trabalhar em qualquer ambiente, inclusive sob pressão, que é um requisito cada vez mais valorizado.


Procure deixar seus problemas pessoais em casa e os seus problemas profissionais no trabalho. Se for realmente muito necessário levá-los de um ambiente para o outro, procure fazê-lo de forma equilibrada e focada na busca de soluções. Não use os ambientes apenas como descarga da energia negativa, pois isso não resolverá o problema e contaminará as outras áreas da sua vida.


Portanto, pense nisso. Talvez você seja brindado com uma amizade no trabalho, talvez não, o que importa é que você pode fazer uma diferença positiva na vida daqueles que passarem por você, seja graças a um trabalho competente, um gesto gentil, um sorriso na hora em que todos estão à beira de um ataque de nervos, ou a uma ajuda sincera e despretensiosa. Enfim, são muitos os meios pelos quais você pode fazer das relações de trabalho uma rica experiência. E, de quebra, contribuir para um mundo melhor!

Experimente mudar algumas atitudes e descubra essa riqueza que está ao seu alcance.


Um abraço,

Rosana Morita

12 visualizações