• Viver

"É que eu sou assim mesmo"


“É que eu sou assim mesmo” ... Você já deve ter ouvido essa frase várias vezes, certo? Ela traz duas mensagens importantes. De um lado, um certo orgulho das próprias características de quem a diz. De outro, uma subliminar de “o mundo que se adapte”. Com relação à primeira, faz sentido. Somos reflexo de nossas forças comportamentais, e é natural que nos orgulhemos delas. Porém, são essas mesmas forças, quando usadas em excesso, que se tornam fraquezas. Veja alguns exemplos: pessoas adaptáveis, no excesso são conformadas. Assertivas se tornam autoritárias. Autoconfiantes ficam arrogantes. Idealistas, sonhadoras. Criatividade se torna inconsistência, e assim por diante. Pense em suas melhores características, e você verá que, em excesso, elas virarão armadilhas. Ocorre que o mundo não se adaptará. No ambiente corporativo não faltam pesquisas mostrando que a falta de inteligência emocional é a causa principal de fracasso de inúmeros executivos promissores que ficam pelo caminho. Portanto, fuja dessa frase, preste atenção no uso excessivo de suas forças e procure se autoconhecer. É o passo inicial para o aprimoramento da inteligência emocional.





3 visualizações